Pular para o conteúdo principal

Diálogo com Krishnamurti - aprendendo a ouvir

Esta pessoa, que vos escreve. Esses dedos que tocam o teclado, que unem letras para formar palavras, juntá-las numa tentativa de transmitir algo, de comunicar. Algo, alguma coisa, um sentimento, um pensamento, uma sensação, uma multiplicidade de experiências coletadas. Esta coleção é o que essa pessoa chama de eu. É esta coleção, permeada pelas impressões recebidas ao assistir esses diálogos com Krishnamurti, que estão gravadas aqui. É o caráter subjetivo do que é expresso, passagens consideradas importantes por essa subjetividade.

Nada sei, nada sou. Pouco sei, quando "penso" que sou.

J.Krishnamurti - 1º - Estamos conscientes de que estamos fragmentados? - "A Transformação do Homem"



Qual é a causa da fragmentação?
Existe o conflito, a partir do conflito, percebo que estou fragmentada.
Mas o que causa isto?
A fragmentação causa medo, mas a causa é ainda mais profunda.

Desejo de segurança. Para sentir seguro, protegido, eu pertenço. Eu dependo totalmente, e é disso que extraio minha sensação de segurança. O começo dessa fragmentação está na busca por segurança. Biologicamente, a segurança é inteiramente necessária. A fragmentação acontece quando busco a segurança psicológica.

Se não pertenço psicologicamente à um grupo, então estou fora dele, então estou inseguro! Então, porque o grupo me dá segurança, eu aceito tudo o que ele me dá ou diz. Mas no momento que eu rejeito a sociedade, grupo, comunidade eu estou perdido. (está aí a questão da solidão de Krishnamurti?)

Qual é a origem da fragmentação? Porque ela acontece? 
Is it knowlegde? Yes, sir. to know (fragmentation comes with ideas, believes)

(do I know you? I have known you. I am always basing my interactions with other by the past. this past prevents me to see the present. its the past, the knowledge, who makes me react by the ideas, believes that I already have and stops me to act in the real moment. this fragmentation, between what it is, and what I have know, is always stopping me.)

Escrito por terra: conhecer é passado, conhecimento é passado. conhecimento nunca é presente! se dizemos que o que conhecemos é o presente, inserimos fragmentação.

Conhecimento é um dos fatores da fragmentação! as pessoas tentaram, pelo conhecimento, resolver a fragmentação. produzindo um sistema de conhecimento para unir tudo. a confusão sobre o que é conhecimento causa a fragmentação. conhecimento em si mesmo

A arte é colocar as coisas em seu lugar, então qual é o lugar do conhecimento? No passado! Mas quando o conhecimento é usado psicologicamente, quando o conhecimento supõe que entende tudo, isso gera fragmentação, pois o conhecimento transborda para o campo psicológico.

Há uma consciência dessa mente fragmentada por conta do conflito. Dissemos que talvez seja o conhecimento psicológico. Eu me conheço!, mas não me conheço realmente, estou sempre mudando, movendo. O uso conhecimento para minha própria satisfação, posição, sucesso, para me tornar um grande homem no mundo.

Fragmentação acontece quando há um desejo de segurança psicológica que impede a segurança biológica. A pessoa se sente segura tendo um ideal... minha insegurança biológica é criada pela minha fragmentação psicológica. uma vez que a mente se fragmenta,a inteligência se foi.
É possível a fragmentação acabar?

É a segurança psicológica mais importante do que a segurança física, psicológica?
O que eu mais me importo é a segurança psicológica, isto impede a segurança BIOLÓGICA.

PODEMOS SER LIVRES DO DESEJO DE TER SEGURANÇA PSICOLÓGICA, DE ESTAR SEGUROS PSICOLOGICAMENTE?

O "eu" é a coisa mais importante. Minha posição, minha felicidade. O "eu" me dá segurança psicológica. O "eu" é a maior segurança!

("eu me conheço", eu conheço meu passado, e partir desse passado, desse amontoado de memórias, eu atuo hoje)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

quando começa?

Por onde começar? Começa pelo começo grita o papagaio que mora na minha cabeça. Mas onde é o começo?, pergunto. E o papagaio se cala. Afinal, ele só sabe repetir um punhado de frases prontas. O papagaio aprendeu que tudo que tem um fim tem um começo. O papagaio sabe que aquilo que nasce está fadado à morte.  Mas será possível a existência de algo que não tenha fim nem começo? É nos possível capturar o primeiro instante do surgimento de algo?  O que é nascer, o que é morrer? O que é o começo, e o que é o fim? Estamos nos últimos dias do ano de 2016. O papagaio aprendeu que isso é o fim de um ciclo, e o início de outro. Entretanto, quando o papagaio despertar na manhã do novo dia, ele continuará sendo o mesmo velho papagaio repetidor de passados, repetidor dele mesmo.  Para o papagaio não há fim, e portanto não há começo.

Castanha do Brasil

Sabonete de Castanha do Brasil A fórmula desse sabão é desenvolvida a partir do nobre óleo de castanha do Brasil prensado à frio. São essas propriedades exclusivas desse óleo que garantirão um cuidado extra na pele, promovendo uma grande hidratação e uma limpeza suave. Definidos os óleos vegetais que constituem a massa base do sabão, é a hora daquele grande momento. Os aromas! Aquele perfume vindo diretamente da natureza fornecido pelo uso exclusivo de óleos essenciais puros. Elaborou-se uma sinergia composta de três óleos buscando um perfume refrescante e estimulante: alecrim, eucalipto e citronela apresentam a sua magia. Além das propriedades aromatológicas (o cheirinho encantador), esses óleos ainda nos trazem outros benefícios. Óleo Essencial de Alecrim : Comprovadamente antibacteriano, o óleo essencial de alecrim ajuda a controlar a caspa e prevenir a queda de cabelos, é um ótimo tônico capilar. Por conta das doses elevadas de cineol age como adstringente,

Eu sou um sujo espelho que reflete você.

Há algo em mim que não seja simples repetição? O que chamo de eu, é essa vida condicionada, esse amontoado de imagens projetadas. Todo o movimento é mecânico, não há nada novo, não há eu, sou, unicamente, um amontoado de gentes com suas esperanças, medos, desejos, vontades, prazeres. Sou um nada, uma nulidade, um zero. Nada há de novo aqui. J.Krishnamurti - 4º - Sobre a criação de imagens - "A Transformação Homem" Porque os seres humanos vivem da maneira que vivem? Pode o ser humano permanecer psicologicamente sozinho? A principal razão de os serem humanos não realizarem uma radical transformação é o medo de não serem parte de um grupo (sentido de pertencimento). K. diz que só a partir dessa solitude pode-se cooperar. Diz Bohm que antropólogos perceberam que nos povos primitivos o sentido de tribo era muito forte, existe a segurança psicológica de estar na tribo. Quando se é tirado do grupo, a pessoa se sente perdida, pois já não sabe quem é. A maior punição que u