Pular para o conteúdo principal

o eu não existe

Vejamos, observe-se, ninguém pode fazer por você. Ninguém pode observar. Observe o fluxo dos seus pensamentos. Há um belo truque aí, comumente falamos: eu penso isso, eu sinto aquilo. Tem um pensamento que "me" perturba. Krishnamurti, seu guru, ou essa que vos escreve pode dizer, mas nada substitui o fato, a percepção real. Nesse caso, observe o movimento do pensamento, observe que o próprio pensamento cria um "eu". O "eu" é apenas mais um pensamento, mais uma idéia, mais uma crença. Não há eu, há apenas o pensamento. Não há observador, há apenas o que é. 

J.Krishnamurti - 6º - O Observador é a coisa Observada? - "A Transformação do Homem"

Qual a diferença entre as feridas armazenadas e aquelas que virão?

Diz o Dr. Bohm que não há distinção entre as feridas do presente e do futuro porque todas vem do passado.

K. não divida as dores do passado e do futuro porque a imagem é a mesma. Há somente dor. Há somente prazer.

Olhe apenas para a imagem que é tanto o passado quanto o futuro.

Olhe para a imagem em sua estrutura geral.

Como eu vou olhar? Porque eu já tenho uma  imagem com a qual vou olhar.

O observador é diferente do que é observado? Essa é a raiz da imagem. Onde há divisão há conflito.

Você me diz para observar, aprender a arte de observar. O observador é o observado. Tudo o que pensamos é uma realidade, de alguma forma, porque, ao menos, o pensamento é real.
A realidade é sustentada pelo pensamento.
Ordinariamente, pensamos que quando estou pensando sobre mim, esse eu é uma realidade independente do pensamento. Mas esse eu é o próprio pensamento, que esse eu é o observador, que é uma realidade, que está pensando, produzindo pensamento. Mas esse eu é o produto do pensamento. O observador é o resultado do passado. Esse passado é o "eu", parece como o "eu" olhando para o passado. Mas o "eu" é produto do passado. A imagem não é o fato! Esta imagem do "eu" não existe, é não-realidade. A única realidade é o pensamento. Não é uma realidade independente do pensamento.

Então, o que é realidade? Relidade é tudo o que o pensamento colocou junto, projetou. Mas a natureza não é realidade, é uma realidade independente do pensamento.

Mas veja, é o "eu" que está olhando, uma realidade que é independente do pensamento como a natureza? pergunta o Dr. Bohm.

Se o observador é a coisa observada, então todo o problema se transforma.

Posso olhar para essa imagem sem o observador? Existe uma imagem quando não existe o observador? O observador constrói a imagem. O observador é o movimento do pensamento. O pensamento está se movendo e criando uma imagem. Existe um pensador sem o pensamento? Se não existe um experieciador, existe uma experiência? O observador é o formador de imagens. Se não existe pensador, não existe pensamento. Portanto, não existe imagem. Como minha consciência, é a consciência do mundo, está preenchida com "tudo, turbilhão de confusão, um senso de grande agonia". Neste estado você não pode ter nenhum relacionamento. Para ter um relacionamento responsável, é preciso estar sem imagens! O criador de imagens é o passado. O "eu" em essência é a imagem.

O que acontece quando não há movimento do pensamento, quando o tempo acaba?
O conteúdo da consciência chega à uma grande transformação, e o pensamento entra em cena só quando necessário.



(Então o pensamento cria uma barreira para experienciar a realidade.)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

quando começa?

Por onde começar? Começa pelo começo grita o papagaio que mora na minha cabeça. Mas onde é o começo?, pergunto. E o papagaio se cala. Afinal, ele só sabe repetir um punhado de frases prontas. O papagaio aprendeu que tudo que tem um fim tem um começo. O papagaio sabe que aquilo que nasce está fadado à morte.  Mas será possível a existência de algo que não tenha fim nem começo? É nos possível capturar o primeiro instante do surgimento de algo?  O que é nascer, o que é morrer? O que é o começo, e o que é o fim? Estamos nos últimos dias do ano de 2016. O papagaio aprendeu que isso é o fim de um ciclo, e o início de outro. Entretanto, quando o papagaio despertar na manhã do novo dia, ele continuará sendo o mesmo velho papagaio repetidor de passados, repetidor dele mesmo.  Para o papagaio não há fim, e portanto não há começo.

Castanha do Brasil

Sabonete de Castanha do Brasil A fórmula desse sabão é desenvolvida a partir do nobre óleo de castanha do Brasil prensado à frio. São essas propriedades exclusivas desse óleo que garantirão um cuidado extra na pele, promovendo uma grande hidratação e uma limpeza suave. Definidos os óleos vegetais que constituem a massa base do sabão, é a hora daquele grande momento. Os aromas! Aquele perfume vindo diretamente da natureza fornecido pelo uso exclusivo de óleos essenciais puros. Elaborou-se uma sinergia composta de três óleos buscando um perfume refrescante e estimulante: alecrim, eucalipto e citronela apresentam a sua magia. Além das propriedades aromatológicas (o cheirinho encantador), esses óleos ainda nos trazem outros benefícios. Óleo Essencial de Alecrim : Comprovadamente antibacteriano, o óleo essencial de alecrim ajuda a controlar a caspa e prevenir a queda de cabelos, é um ótimo tônico capilar. Por conta das doses elevadas de cineol age como adstringente,

Eu sou um sujo espelho que reflete você.

Há algo em mim que não seja simples repetição? O que chamo de eu, é essa vida condicionada, esse amontoado de imagens projetadas. Todo o movimento é mecânico, não há nada novo, não há eu, sou, unicamente, um amontoado de gentes com suas esperanças, medos, desejos, vontades, prazeres. Sou um nada, uma nulidade, um zero. Nada há de novo aqui. J.Krishnamurti - 4º - Sobre a criação de imagens - "A Transformação Homem" Porque os seres humanos vivem da maneira que vivem? Pode o ser humano permanecer psicologicamente sozinho? A principal razão de os serem humanos não realizarem uma radical transformação é o medo de não serem parte de um grupo (sentido de pertencimento). K. diz que só a partir dessa solitude pode-se cooperar. Diz Bohm que antropólogos perceberam que nos povos primitivos o sentido de tribo era muito forte, existe a segurança psicológica de estar na tribo. Quando se é tirado do grupo, a pessoa se sente perdida, pois já não sabe quem é. A maior punição que u