Pular para o conteúdo principal

Eu sou uma máquina

Eu não faço, sou levada, acho que tenho o poder de fazer, mas tudo se faz. Não sou dona de mim, sou apenas uma escrava dos muitos "eus" e desejos contraditórios que me tomam e me levam. Quem sou eu? Apenas um amontoado de tudo o que "já foi". A minha suposta "originalidade" é só um acúmulo de experiências aleatórias que formaram minha "personalidade". Esse é o ego, isso é o que chamo "eu".


J.Krishnamurti - 2º - Vivemos uma vida é vida mecânica? - "A Transformação do Homem"


Quais são as minhas necessidades?
Me sentir amada, querida, ADMIRADA, útil, importante... Saber que terei dinheiro no amanhã, que não me "faltará" nada (isso quer dizer que poderei  ter o mesmo padrão de vida, adquirir os mesmos objetos). Sentir que alguém se importa comigo, que tenho com quem contar, que posso pedir ajuda. Necessidade de estar certa, de não errar, de ter feito a escolha mais acertada (lucrativa: que me dá mais prazer, satisfação). Os sete pecados capitais: ira, luxúria, inveja, gula,  avareza, preguiça, soberba. Segurança na continuidade do meu interesse... que eu posso ajudar alguém, que posso fazer o meu trabalho.

Sobre a segurança psicológica.

O que é segurança? Quando digo que estou seguro, digo que tenho algo imperecível. permanente. "um eu permanente", ideias, crenças mesmo que elas me tragam sofrimento, conflito.

Pode ser uma crença, pode ser deus, pode ser conhecimento (que não passa de uma crença), experiência, pode ser uma pessoa (que não passa de uma imagem), que um dia me deu uma "sensação de segurança" e me agarro à essa sensação, projetando-a na pessoa. Algo que posso contar, agarrar, segurar, apegar.

Se você pode antecipar que algo ruim acontecerá, você já se sente mal... foco em antecipar o que ocorrerá: é a doença do amanhã. O amanhã psicológico é fruto do MAIS, da esperança de algo melhor.

Não há segurança no amanhã. Não há nada em que você possa confiar psicologicamente.

O condicionamento é uma objeção em ver as coisas como são.

A ação surge através da percepção. Enquanto existe um eu, existe a necessidade de mantê-lo. Você tem que destruir isso, isso que você não é. Esta é a verdadeira criação. Você vê que está agarrado à alguma coisa que te dá segurança? A percepção disso é ação total em relação à segurança. Ver é agir! Você vê através da imagem que tem deles. Essa é minha lente, este é meu filtro. "A figura, a imagem, a conclusão é a segurança." Porque isso se tornou real, mais real até do que o mundo objetivo, do que esta mesa amarela? É a única coisa que entro em contato. "nenhuma prova parece funcionar, eu digo a mim mesmo que a coisa real sou eu, esse eu é uma idéia!

Tudo que me traz uma sensação de segurança, também traz o medo de perdê-lo.

É necessário manter-se ocupado. Qual o significado de ocupado? O cérebro precisa manter-se ocupado, um processo mecânico constante. Porque o cérebro fica "agitado" quando não está ocupado? Na ocupação existe segurança, ordem. Nossa segurança significa que queremos ordem. Queremos ordem dentro do cérebro. Queremos ser capazes de projetar ordem no futuro. A ordem mecânica não satisfará porque funciona por um tempo. Depois, ficamos entendiados e queremos algo novo. Essencialmente é desordem mecânica, mascarando-se como ordem. Se você está fazendo algo, porque está fugindo da instabilidade do cérebro, isto já é desordem. O cérebro sem ocupação parece estar em desordem. Por isso tenho medo, é perigoso. O principal perigo vem de dentro. Esta desordem pode parar? Nada pode controlar essa desordem. Porque temos essa desordem? Desordem vem, primeiro, com o seguir desses processos mecânicos, e com a segurança desse processo mecânico, e quando esse processo mecânico é perturbado, torna-se, inseguro. Estamos condicionados pelo tempo, tradição, educação, cultura: o caminho fácil.

No início o caminho mecânico parece mais seguro e depois, temos provas de que esse caminho não é o melhor, mas seguimos atados à ele. Porque o cérebro não vê que está errado, pergunta o Dr. Bohm? Porque não vê que esse processo mecânico é, essencialmente, desordem? É completa ilusão, sua segurança é completa ilusão.

Porque minha vida é mecânica? O que causou aceitar esse modo de viver mecânico?

O cérebro quer ordem total, do contrário não ficará seguro.
Ele aceitou esse processo mecânico sem saber que levaria ao desastre. Não quer sair disso, pois tem medo de um desastre maior. O cérebro aceitou essa ordem, a ordem mecânica, pois foi condicionado na infância. Como também o medo de desistir desse mecanismo. Você vê que a forma mecânica de se viver leva à desordem? Se eu vivo inteiramente no passado (tradição, ordenamento)... eu já estou morto, repetindo a mim mesmo. Por favor, eu encontrei algo que me dá ordem, segurança, crença, uma esperança, me deixe em paz. E a vida não vai deixá-lo em paz. O ato de ver isso, instantaneamente, destrói tudo e traz uma nova ordem ao cérebro. Indestrutível, diz Krishnamurti.
O ato do percebimento da segurança mecânica que o cérebro desenvolveu, se apegou e cultivou.
A ação fragmentada é ação mecânica.

Se é assim, porque você não muda?

Quando o passado encontra o presente e se encontra ali, uma coisa totalmente diferente acontece. O passado é geralmente ativo no presente em direção ao futuro. Quando o passado encontra o presente, então o passado para de atuar. O pensamento pára e a ordem vem à tona. Pode o passado parar aí e não ir adiante. "Eu encontro você como um quadro, com o passado, memórias, mas você pode ter mudado. Então eu nunca te encontro, te encontro com o passado. Quando o passado encontra o presente e continua é um dos fatores do movimento do tempo, servidão (apego), medo...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Introdução Pessoal (um par de frases)

Biografia (limite de 4000 caracteres) 4000 character limit to biography, four thousands characters to describe what Flavia has been done in the past three decades. 4000 characters, and now 169 already have gone, to make la grafia de la vida, the writing of some life, a escritura da vida. A part of course from all the eating, and breathing, and sleeping in bed, what else worthwile speaking about? Since those everyone have been doing, what's then that make Flavia special? What makes her deserve a second look? Don't you know that she asks herself this same question every morning? And, if you're sincere enought in yourself, wouldn't you ask yourself this same question? Or are we all still believing in the very special kids we are, so different from our classmates, that our mama and papa used to tell us? But then, my friend, perhaps you didn't experience this naive shock yet , the one that will shows you undoubtedly that we are not special at all and our biography

E o que é sabão mesmo, gente? Faltei a aula de Química, todas elas!

A criação sem sabão Se você e eu habitamos o mesmo planeta, ambos, como bons conhecedores dessa terra, sabemos que não existe árvore de sabão. E nem cachoeira, e nem montanhas, e nem hortinha, seja ela orgânica ou o temível, o bicho papão da nossa era, agronegócio. Isso, não significa, claro, para o bom homem capitalis que somos, que não inventamos uma forma de vender "sabão" (mesmo não o sendo) em larga escala e enriquecer nossos bolsos, figurativamente falando, pois hoje dinheiro é algo demodê, e sujo, muito sujo, nojento, infecto, afirma com convicção meu pai bancário aposentado. E convenhamos, ele tem a sua excelência no assunto. Na última, e primeira, viagem que fizemos juntos, deixou de comer um pastel de Belém, ressalto pastel de Belém de Portugal, em Portugal, pois, numa retrospectiva do seu dia, havia, em algum momento, algumas tantas horas antes, tocado em umas moedinhas. Dei-lhe na boca, e lhe omiti, obviamente, a minha própria culpa, pois sou uma boa filha,

Eu tomo banho todo dia, mas sabão limpa mesmo por quê?

Você poderia esperar que este texto começasse de outra forma além dessa velha conhecida?: "Ah! Aquela deliciosa sensação de limpeza e frescor, você enrolada numa toalha felpuda pronta para um sono reparador agradecendo à querida saboeira pela trabalho primoroso de unir óleos, álcalis, óleos essenciais aromáticos, te fornecendo tudo isso numa barra de sabão, aquele sabonete que ocupa um espaço (espero) privilegiado no seu banheiro e que você mostra os dentes pro engraçadinho que se atreve a usá-lo sem a sua autorização prévia." Esse post é uma continuação desse  outro  onde foi explicado o que é, de fato, sabão. Mostramos do que ele é composto, como é formado, investigamos suas moléculas, e finalizamos com a pegunta: afinal por que sabão limpa? Veja bem, sabão limpa desde que sua mãe lhe mandava lavar atrás das orelhas e lhe fiscalizava as unhas pra ver se você não tinha apenas lavado os pés pra voltar correndo para brincar no quintal, ou pros seus gibis, ou pro