Pular para o conteúdo principal

A Trajetória da Pregação


Embora gostemos de imaginar que não, todos vivemos através das nossas crenças. Claro que ler isso não será e não é suficiente para que a percepção desse fato lhe venha, ou, dizendo em outras palavras, para que lhe caía a ficha de que você é um crente. Sim, eu sei, é difícil, muito difícil de admitir, principalmente se você baseou toda a sua concepção de vida numa ideia "lógica, racional e cientificamente comprovada". Ou seja, se você lá nos seus primeiros passos refutou a concepção de vida que lhe era ensinada. Mas está é a história da Flávia. 

A Flávia, muito certa de suas convicções, questionava os conceitos religiosos e morais do seu meio. Ou seja, ela reagiu aquilo imitando outros conceitos. Embora agrade a vaidade dela, não era nada novo, era apenas imitação. Como ainda continua sendo, mesmo que, repito, gostemos de pensar o oposto.

O fato é que não fazemos nada de novo. E a Flávia, como representante da humanidade, trocou uma crença pela outra. Descartou a crença cristã que lhe era ensinada pela família e declarou que era ateia. Fácil não?, uns declaram que acreditam em Deus, outros declaram que não acreditam. Mas perceba a sutileza dessa palavra: acreditar. No dicionário acreditar significa crer, dar crédito, confiar. É sempre um ato relacionado à um objeto, algo que não está, algo que não é um fato, é apenas uma ideia, um ideal. E assim fomos caminhando, e, acreditem (ou não, se já pegaram o sentido da coisa) a Flávia era uma boa pregadora.

Pregava na sala de aula, pregava com os amigos, pregava, principalmente, na família. E que momentos deliciosos de falação e exaltação e desconforto. Os temas foram variando, mas a pregação não tinha fim. A Flávia era uma crente fiel. Fiel ao ato de crer, não fiel à uma crença especificamente. E claro, como não poderia deixar de ser, fiel àquilo que era o tema da moda. Teve o ateísmo, o rock, o comunismo, a liberdade sexual, as drogas, a injustiça social, o feminismo, as questões de gênero, a sustentabilidade, a alimentação, os orgânicos, a ecovila. Em todas ela acreditava que tinha razão, ou seja ela acreditava naquilo que lia, naquilo que lhe era dito desde que "confiasse" na fonte. Observe novamente a questão da crença.

Mas o que acontece quando acreditamos em algo? Temos uma ideia de alguma coisa, um conceito, e esse conceito, essa ideia se opõe aquilo que é, ao fato. E o que acontece com uma vida vivida através de ideias e ideais? Você com a sua ideia de um lado, a Flávia com a ideia dela de outro. Há quantas centenas de anos estamos representando essa mesma peça, esse mesmo conflito. No entanto, nunca aprendemos. Vivemos através de uma ideia de como deveria ser a nossa vida, a nossa casa, o nosso dia, o nosso marido, de como o porteiro deveria falar conosco, de como a cidade deveria ser mais limpa, ou mais pacífica, ou mais justa, ou mais isso, ou mais aquilo. Mas nunca nos atentamos aos fatos. A vida como ela é, com tudo aquilo que se opõe às nossas ideias, as nossas crenças, aos nossos desejos, aos nossos prazeres. Vivemos através de uma ideia, portanto, não estamos vivos. A ideia, o ideal é sempre do passado. Não é possível ter uma ideia nova, ela já nasce morta. Mas a vida, o fato, aquilo que é, está sempre vivo.

Certa vez a Flávia estava com um grupo de pessoas, era noite, estávamos no terraço de uma casa, tínhamos um céu à vista, montanhas, a Baía de Guanabara, um bando de pássaros fazia um redemoinho no ar. Era a noite numa grande cidade, numa dessas entre muitas que nós mesmos construímos e agora tratamos de rechaçar. E éramos humanos, há centenas de anos habitando esse pequenino planeta. Havíamos nos reunido para tratar de questões ambientais, do uso de agrotóxicos, da produção e distribuição de alimentos orgânicos. Ninguém reparou no céu, ninguém viu a beleza das luzes das casas, ninguém se admirou com a maravilha tecnológica que é um avião fazendo uma curva preparando-se para pousar no Santos Dumont. Estamos todos muito preocupados com as nossas ideias, os nossos desejos (sejam eles socialmente valorizados ou não) para estarmos presentes na vida, na vida como ela é.

Comentários

  1. A hallmark of all Rootz merchandise, the extra you play at Wheelz, the higher our systems adapt at tailoring the perfect rewards for 1xbet you. Gamble it up like a excessive roller, and we’ll roll out the VIP remedy. Wager extra modest quantities - and you’ll get lower worth rewards based mostly on your play.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

quando começa?

Por onde começar? Começa pelo começo grita o papagaio que mora na minha cabeça. Mas onde é o começo?, pergunto. E o papagaio se cala. Afinal, ele só sabe repetir um punhado de frases prontas. O papagaio aprendeu que tudo que tem um fim tem um começo. O papagaio sabe que aquilo que nasce está fadado à morte.  Mas será possível a existência de algo que não tenha fim nem começo? É nos possível capturar o primeiro instante do surgimento de algo?  O que é nascer, o que é morrer? O que é o começo, e o que é o fim? Estamos nos últimos dias do ano de 2016. O papagaio aprendeu que isso é o fim de um ciclo, e o início de outro. Entretanto, quando o papagaio despertar na manhã do novo dia, ele continuará sendo o mesmo velho papagaio repetidor de passados, repetidor dele mesmo.  Para o papagaio não há fim, e portanto não há começo.

Castanha do Brasil

Sabonete de Castanha do Brasil A fórmula desse sabão é desenvolvida a partir do nobre óleo de castanha do Brasil prensado à frio. São essas propriedades exclusivas desse óleo que garantirão um cuidado extra na pele, promovendo uma grande hidratação e uma limpeza suave. Definidos os óleos vegetais que constituem a massa base do sabão, é a hora daquele grande momento. Os aromas! Aquele perfume vindo diretamente da natureza fornecido pelo uso exclusivo de óleos essenciais puros. Elaborou-se uma sinergia composta de três óleos buscando um perfume refrescante e estimulante: alecrim, eucalipto e citronela apresentam a sua magia. Além das propriedades aromatológicas (o cheirinho encantador), esses óleos ainda nos trazem outros benefícios. Óleo Essencial de Alecrim : Comprovadamente antibacteriano, o óleo essencial de alecrim ajuda a controlar a caspa e prevenir a queda de cabelos, é um ótimo tônico capilar. Por conta das doses elevadas de cineol age como adstringente,

Eu sou um sujo espelho que reflete você.

Há algo em mim que não seja simples repetição? O que chamo de eu, é essa vida condicionada, esse amontoado de imagens projetadas. Todo o movimento é mecânico, não há nada novo, não há eu, sou, unicamente, um amontoado de gentes com suas esperanças, medos, desejos, vontades, prazeres. Sou um nada, uma nulidade, um zero. Nada há de novo aqui. J.Krishnamurti - 4º - Sobre a criação de imagens - "A Transformação Homem" Porque os seres humanos vivem da maneira que vivem? Pode o ser humano permanecer psicologicamente sozinho? A principal razão de os serem humanos não realizarem uma radical transformação é o medo de não serem parte de um grupo (sentido de pertencimento). K. diz que só a partir dessa solitude pode-se cooperar. Diz Bohm que antropólogos perceberam que nos povos primitivos o sentido de tribo era muito forte, existe a segurança psicológica de estar na tribo. Quando se é tirado do grupo, a pessoa se sente perdida, pois já não sabe quem é. A maior punição que u